InícioResumo da Cartilha sobre Agrotóxicos da FUNDACENTRO

Resumo da Cartilha sobre Agrotóxicos da FUNDACENTRO


Equipe Técnica:

José Prado Alves Filho e Eduardo Garcia Garcia

Coordenação de Segurança Rural: Rosa Yasuko Yamashita

COMO SABER SE É PRECISO USAR AGROTÓXICOS?

Agrotóxicos são produtos químicos que ajudam a controlar pragas e doenças das plantas e podem causar danos à saúde das pessoas, dos animais e do meio ambiente. Por isso, seu uso só pode ser recomendado por um técnico habilitado que oriente a sua aplicação, conforme os seguintes passos:

- identificar precisamente a praga a ser controlada;
- investigar a existência de outros métodos, não químicos, eficazes para o controle da praga;
- se tiver que usar agrotóxicos, procurar os produtos menos tóxicos;
- ler cuidadosamente todas as instruções sobre o manuseio e aplicação do produto (na receita, no rótulo e na bula);
- comprar apenas as quantidades indicadas na receita agronômica;
- para conseguir uma receita, procure sempre um agrônomo ou um técnico habilitado.

* As mulheres grávidas não devem usar agrotóxicos.

ALTERNATIVAS NÃO QUÍMICAS

Atualmente, várias práticas e métodos permitem controlar pragas e doenças nas lavouras sem o uso de produtos tóxicos. Por exemplo: o uso de variedades de plantas resistentes a pragas; rotação de culturas; destruição de resíduos de colheitas; adubação adequada; irrigação e outras boas práticas agrícolas. Os principais métodos recomendados pelos técnicos são: (uso de armadilhas e barreiras), controle físico: (calor, frio e umidade) e controle biológico: (utilização de inimigos naturais das pragas). Procure orientação técnica para o seu caso.

EFEITOS TÓXICOS E POSSIBILIDADES DE INTOXICAÇÃO

1. Pela respiração
2. Via digestiva
3. Através da pele

Os agrotóxicos podem entrar no organismo de quem manuseia ou aplica o produto pela respiração, pela via digestiva e, principalmente, através da pele. As pessoas expostas a agrotóxicos podem sofrer intoxicações agudas (efeitos imediatos) ou crônicas (efeitos a longo prazo) que provocam os seguintes sintomas: dor de cabeça; mal estar e cansaço; tontura e fraqueza; perturbação da visão; náuseas e vômitos; dor de barriga e diarréia; saliva e suor excessivos e dificuldade respiratória.

O QUE FAZER EM CASO DE INTOXICAÇÃO

- afastar o acidentado das fontes de contaminação ( locais e roupas);
- lavar as partes do corpo atingidas pelo produto com muita água e sabão em pedra;
- a pessoa que socorrer o acidentado deve usar luvas, caso precise manusear objetos e roupas contaminadas;
- providenciar o atendimento médico imediato;
- providenciar o preenchimento da Comunicação de Acidente do Trabalho (CAT Rural) para garantia da cobertura junto ao INSS.

COMO PREVENIR ACIDENTES COM AGROTÓXICOS

Todas as pessoas que venham trabalhar com agrotóxico devem ser treinadas para seu uso e aplicação da forma mais segura e correta. É obrigatório o uso de vestimentas e equipamentos de proteção apropriados para cada tipo de produto e de aplicação. O técnico que recomendou o seu uso deve incluir essa orientação na receita, mesmo que o rótulo ou bula do agrotóxico já contenham informações gerais.

VESTIMENTAS E EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA

De forma geral , é necessário o uso dos seguintes equipamentos de segurança:
- calças compridas de brim grosso e de cor clara:
- camisa de brim ou algodão, ou macacão de brim grosso, com mangas compridas e de cor clara:
- luvas de segurança;
- sapatos ou botas impermeáveis (as botas preferencialmente de PVC);
- proteção impermeável para a cabeça.

Itens complementares que devem ser acrescentados de acordo com as condições de trabalho:

- protetores faciais e óculos de segurança;
- aventais, peneiras e outros acessórios impermeáveis;
- respiradores com filtro adequado.

ORIENTAÇÕES GERAIS DE SEGURANÇA

- Agrotóxicos nunca devem ser transportados junto com pessoas, animais, forragens ou utensílios pessoais para evitar contaminações.

- O armazenamento deve ser feito em local trancado, fora do alcance de crianças, pessoas estranhas ao serviço e animais.

- Agrotóxicos devem ser mantidos sempre em seus recipientes originais.

- As embalagens vazias nunca devem ser utilizadas para outros fins, mesmo depois de bem lavadas.

- A aplicação dos produtos deve ser feita nas horas menos quentes do dia para diminuir a evaporação e facilitar o uso de vestimentas e equipamentos de proteção.

- Não aplicar o produto contra o vento e não caminhar entre plantações recém-tratadas.

- Mistura de agrotóxicos só podem ser feitas com instrução técnica específica.

- Não comer, beber, mascar ou fumar durante a aplicação de agrotóxicos.

- Ao finalizar a atividade, o trabalhador deve tomar banho com bastante água e sabão em pedra, e mudar de roupa.

- Vestimentas e equipamentos de proteção devem ser lavados separados de outras roupas, com água e sabão em pedra, a cada final de aplicação.

CUIDADOS COM EMBALAGENS VAZIAS

- Embalagens e vazilhames contaminados com agrotóxicos nunca devem ser queimadas, enterradas, despejadas no solo, jogadas na água ou deixadas nas beiras de rios ou estradas. Esse cuidado evitará a contaminação das águas, lagos e rios, e também de animais e pessoas.
- As embalagens de agrotóxicos vazias devem ser lavadas três vezes e serem guardadas em local seguro, até irem para um centro de recepção e coleta para reciclagem e destinação final sem riscos.
- O usuário de agrotóxicos deve consultar o fabricante e o revendedor para saber quais os centro de recepção e coleta de embalagens vazias que existem na sua região.
- A água da lavagem dos vazilhames deve ser colocada no tanque do equipamento de aplicação para ser reutilizada nas áreas de lavoura recém-tratadas.

Para conhecer o grau de risco dos agrotóxicos, observar as informações do rótulo que indicam a classe toxicológica dos produtos.

CLASSE TOXICOLÓGICA: COR DA FAIXA

I EXTREMAMENTE TÓXICO VERMELHA
II ALTAMENTE TÓXICO AMARELA
III MEDIANAMENTE TÓXICO AZUL
IV POUCO TÓXICO VERDE

AS LEIS SOBRE AGROTÓXICOS

A Lei Federal nº 7802/89 e o Decreto Regulamentador nº 98.816/90 regulam o uso de agrotóxico no Brasil. Além da legislação federal existem as leis estaduais e portarias municipais.
Também devem ser conhecidas e praticadas as orientações das Normas Regulamentadoras do Trabalho Rural, em especial a NRR 5 - PRODUTOS QUÍMICOS, que dispõe sobre as estruturas, cuidados e procedimentos a serem seguidos nos ambientes de trabalho quando se usa produtos químicos.

É fundamental também conhecer e procurar os órgãos locais envolvidos com a questão dos agrotóxicos. São eles: o escritório do Serviço de Assistência Técnica e Extensão rural do Estado ou do Município; o STR - Sindicato dos Trabalhadores Rurais; o Posto de Saúde local ou Centro de Controle de Intoxicação Regional; o Serviço de vigilância Sanitária e Órgão Regional do Ministério do Trabalho.


DEIXE COMENTÁRIO ABAIXO:

Comentário(s):